História

 

O Candonguêro é um projeto cultural que nasceu em 2006, a partir da necessidade de se praticar, no carnaval de Ouro Preto, a Música Brasileira, conhecida como MPB e que vinha sendo preterida há anos, no momento em que houve uma reconfiguração nos valores inerentes aos saudosos carnavais da cidade. 
 

O Candonguêro configura-se como um produto dedicado ao cancioneiro brasileiro, a partir de uma série de releituras musicais e, sobretudo, da valorização dos compositores de Ouro Preto.
 

Na trajetória do projeto destaca-se a orientação dos professores Victor Godoy e Jorge Adílio Pena, que tiveram uma importância fundamental em todo processo de construção do mesmo. Foram eles os responsáveis por mapearem a história do carnaval do século XX, em Ouro Preto, apontando a figura do compositor Vandico.
 

A partir desse quadro emerge a história da Charanga de Carlota, do Brito e Filho, do Vai Quem Quer, entre outros, abrindo um horizonte de possibilidades que permitiu evidenciar importantes compositores locais que ajudaram a reerguer história recente do carnaval de Ouro Preto e que, principalmente, tinham identidade com a proposta do projeto. 

Assim, destaca-se o Mestre Edmundo Guedes, autor de “Terno Branco” - canção que comemorou, em 2010, 40 anos-; Vicente Gomes e sua afro-mineiridade; o próprio Jorge Adílio e as suas cirandas; Vandico e a sua irreverência em frevos e sambas; João do Pandeiro e João Pedrosa com seus sambas-enredo; Seu Walter das Latinhas e as suas marchinhas; Geraldo Vitor, Ladinho e sua “batucada”, além da saudosa Maria Ferreira, com o seu lirismo no Samba.
 



 

Origem da Palavra

A palavra “Candonguêro” surgiu como síntese da proposta. Candonguêro é uma palavra/termo angolano que nomeia o tambor usado no ritual do jongo. Com o passar do tempo, a partir de um processo semântico passou a designar o fofoqueiro, o “leva e traz”. Em Angola, por exemplo, o táxi lotação se chama “candonguêro”.
 

Logo, a ideia é essa, trazer do cancioneiro brasileiro canções que tocam e as levam as pessoas a uma nova forma de experienciar o carnaval.  

 


Lido 2315 vezes

Voltar ao topo






Quer saber com exclusividade por onde anda o Candonguêro? Cadastre-se aqui.

CADASTRE-SE AQUI